Dosagem de CEA (antígeno carcinoembrionário)

Definição e importância

O antígeno carcinoembrionário (CEA) é uma proteína produzida pelas células que revestem o trato gastrointestinal do feto. Nos adultos também é produzida normalmente, mas em pequenas quantidades. Quando essa dosagem está elevada no sangue circulante, pode indicar alguns problemas do trato gastrointestinal, especialmente no câncer colorretal. É um exame auxiliar no estadiamento e controle da eficácia no tratamento dos adenocarcinomas do tubo digestivo, podendo indicar a presença de metástase. É comum aumento das taxas de CEA durante radioterapia ou quimioterapia.

Outras condições podem alterar o resultado do CEA

Os fumantes podem apresentar, comumente, aumento do CEA. Outras condições não malignas podem alterar, tais como inflamações, infecções, úlceras pépticas, pancreatite, retocolite, doença de Crohn, cirrose hepática, enfisema pulmonar, polipose retal e doença mamária benigna. Outras neoplasias também podem cursar com alteração neste exame, tais como: câncer de mama, pulmão, ovário, estômago, pâncreas, útero, tireoide e tumores de cabeça e pescoço.

Importante saber que o CEA não é um exame a ser utilizado no diagnóstico precoce ou triagem de câncer colorretal. Os métodos preventivos para o câncer colorretal são esclarecidos no tópico relacionado.

PARTICIPE DO FÓRUM